Millennials, marcas e o pesadelo dos marqueteiros

Na semana passada o Brandhack desmistificou o conceito de lealdade de marca, mostrando que muitas vezes aquela história de “só tenho olhos para a Nike” fica bonita no conto de fadas dos livros de marketing, mas que a realidade pode ser bem diferente.

Hoje vamos continuar explorando o tema, dessa vez voltando nossos olhares para um público que vem aterrorizando ainda mais os marqueteiros quando o assunto é fidelização: os Millennials.

Estudos X, Y e Z, publicados em revistas A, B e C demonstram: Millennials são desapegados. Eles não ligam para marcas. Pior, eles as rejeitam.

iStock476859184

Será?

Bom, deixemos as estatísticas de plantão de lado um pouco e vamos investigar os padrões de comportamento dessa geração com base na observação, na experiência.

Basta, uma volta rápida em um shopping para trazermos uma primeira constatação: logotipos extravagantes estão fora de moda.

Muito provavelmente essas confecções famosas que tanto conhecemos tiveram acesso, muito antes de nós, aos estudos X, Y e Z e perceberam que os consumidores da nova geração não curtem jacarés gigantes no lado esquerdo do peito. Um brainstorming depois e lá estava um jacaré menor.

Uma volta em um bairro badalado de São Paulo, Londres ou Nova Iorque e a segunda conotação: Você não viu um Mc Donald’s, mas já contou 15 hamburguerias artesanais que fazem a própria cerveja e se gabam de ter a melhor maionese de wasabi com cury tibetano do mundo.

roncador_burger_2-1024x1024
Uma visita ao apartamento de um Millennial e a terceira conotação: Ele não tem televisão. Logo, ele não assiste a comerciais. Como vou convence-lo que o meu produto é melhor se não posso obriga-lo a ficar 30 segundos ouvindo eu me gabar dele no intervalo do seu programa favorito.

Bom, todas essas constatações são absolutamente verdadeiras, mas será que isso significa realmente falta de lealdade?

O Brandhack vê de uma forma diferente, afinal a gente acredita e muito em marcas. Mas sabemos que elas não podem mais ser tratadas com base na cartilha tradicional dos livros de marketing.

Não é que os Millennials não valorizam marcas em si. Se isso fosse verdade como você explicaria essa foto de 2017?

 

iphone-6-lineup
Os Millennials apenas tratam as marcas de uma forma diferente, e exigem delas algumas coisas:
  • Que promessas sejam cumpridas. Um discurso bonito sem atitude e você não terá credibilidade.
  • Que conversas sejam estabelecidas. Marcas devem criar conexões multilaterais.
  • Que seu impacto na sociedade seja positivo. Não tem espaço no mundo para mais desperdícios e injustiças.
  • Que a experiência seja a prioridade número 1. Ninguém ama o Starbucks pela qualidade do café.

Uber, Netflix, Apple, Airbnb, Nubank, Nike, Facebook… O que são esses nomes se não marcas? Marcas pelas quais os Millennials fazem juras de amor?

A diferença é que eles não fazem isso porque respondem ao conto de fadas lá do livro de marketing. Eles fazem isso porque acreditam na capacidade dessas marcas de facilitar a suas vidas, de cumprir com suas promessas e de entregar muito mais do que logotipos brilhantes em bolso de calça jeans.

Eles acreditam na capacidade dessas marcas de mudar o mundo.
Se você ainda não está convencido de que Millennials amam marcas, só não sabem admitir olhem esse link aqui: https://brandless.com

Imagem de capa: Interbrand Health

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s